Botânica – Briófitas e Pteridófitas

Hoje daremos inícios aos estudos da parte de botânica. As plantas são divididas em dois grandes grandes grupos: criptógamas e fanerógamas, os quais são subdivididos em briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas. Na postagem de hoje veremos as principais características das criptógamas, que incluem as briófitas e pteridófitas.

As plantas são organismos eucariontes, pluricelulares e contém amido como reserva energética.

BRIÓFITAS

A primeira e mais importante característica das briófitas à nível de vestibular é que elas são plantas avasculares, ou seja, não possuem vasos condutores de seiva, o que explica o porquê de seus representantes não terem grande porte, afinal, toda água e nutriente é transportado pelo corpo da planta através da difusão.

As briófitas são encontradas preferencialmente em locais úmidos e sombreados, mas podem resistir à diversos ambientes e inclusive atuam como colonizadores primários no processo de sucessão ecológica.

O corpo de uma briófita em dividido em rizoide (fixam a planta ao solo e retiram água e sais minerais do solo), cauloide (eixo em que os filoides se conectam) e filoide (estruturas em forma de lâminas responsáveis pela realização da fotossíntese).

As briófitas possuem ciclo reprodutivo diplôntico, em que há alternância de gerações. Isso significa que em um mesmo indivíduo existe um organismo haploide (n) e um diploide (2n), sendo que nesse grupo o indivíduo da base é haploide e se reproduz através de gametas (produzidos por mitose), sendo chamado de gametófito e é a parte duradoura. Sobre o gametófito desenvolve-se o esporófito, indivíduo diploide que produz esporos por meiose e é a parte transitória.

Os gametas (masc: anterozoide e fem: oosfera) são produzidos pelos gametófitos em uma estrutura chamada gametângios (masc: anterídio, fem: arquegônio). Após a união dos gametas é formado um embrião que desenvolve-se em um esporófito, que possui esporângio e produz esporos. Os esporos produzidos a partir da meiose espórica sofrem mitoses e originam gametófitos e assim o ciclo se reinicia.

As briófitas são dependentes de água para a sua reprodução, caracterizando uma oogamia, já que os anterozoides dependem do meio aquoso para se locomover.

PTERIDÓFITAS

As pteridófitas têm o corpo formado por raiz, caule e folha, em que o caule é do tipo rizoma, ou seja, fica dentro do solo paralelamente à superfície.  Dele sai as raízes adventícias e as folhas. As folhas adultas são formadas por folíolos, que possuem soros, que são constituídos por esporângios, em que são produzidos esporos. Quando um esporo cai em substrato adequado e germina é formado um gametófito (n).

O gametófito é avascular e possui anterídios e arquegônios, que produzem respectivamente anterozoides e oosferas, os quais unem-se formando um embrião que irá se desenvolver em esporófito (2n). A reprodução das pteridófitas também é oogâmica, com ciclo de alternância de gerações, mas ao contrário das briófitas, nesse grupo o esporófito (2n) é mais desenvolvido que o gametófito (n).

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.
COMPARTILHE!

Beatriz Silva

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.

Um comentário em “Botânica – Briófitas e Pteridófitas

Gostou? Deixe uma resposta!