Citologia – Divisão Celular II

Fala, galera!

NO post anterior abordamos a preparação da célula antes da divisão celular e vimos como acontece a mitose. Hoje veremos a Meiose.

Diferentemente da mitose, em que uma célula diplóide (2n), por exemplo, se divide formando duas células também diplóides (divisão equacional), a meiose é um tipo de divisão celular em que uma célula diplóide produz quatro células haplóides (n), sendo por este motivo uma divisão reducional.

Um fato que reforça o caráter reducional da meiose é que, embora compreenda duas etapas sucessivas de divisão celular, os cromossomos só se duplicam uma vez, durante a interfase – período que antecede tanto a mitose como a meiose.

No início da interfase, os filamentos de cromatina não estão duplicados. Posteriormente, ainda nesta fase, ocorre a duplicação, ficando cada cromossomo com duas cromátides.

A meiose inicia-se quando a célula está em fase de reprodução. A partir deste momento, haverá uma mistura de genes entre as duas células.

Ao invés de criar duas novas células com números idênticos de cromossomos (como na mitose), na meiose as células fazem uma segunda divisão (meiose II) logo após a primeira (meiose I). Nesta segunda divisão o número de cromossomos é divido ao meio. Com apenas a metade do número de cromossomos, as células são chamadas de haplóides. As células diplóides são exatamente o oposto das haplóides. As células em seu estágio normal são consideradas diplóides.

ETAPAS DA MEIOSE I

Prófase I – É a etapa mais marcante da meiose. Nela ocorre o pareamento dos cromossomos homólogos e pode acontecer um fenômeno conhecido como crossing-over (permuta). Ela ainda é dividida em algumas sub-etapas, que são:

  • a fase de leptóteno (leptós = fino), em que os filamentos cromossômicos são finos, pouco visíveis e já constituídos cada um por duas cromátides.

  • o zigóteno começa com a atração e o pareamento dos cromossomos homólogos; é um pareamento ponto por ponto conhecido como sinapse (o prefixo sin provém do grego e significa união).

  • A espiralação progrediu: agora, são bem visíveis as duas cromátides de cada homólogo pareado; como existem, então, quatro cromátides, o conjunto forma uma tétrade ou par bivalente. Essa é a fase de paquíteno.

  • Ocorrem quebras casuais nas cromátides e uma troca de pedaços entre as cromátides homólogas, fenômeno conhecido como crossing-over. Em seguida, os homólogos se afastam e evidenciam-se entre eles algumas regiões que estão ainda em contato. Essas regiões são conhecidas como quiasmas e representam as regiões em que houve as trocas de pedaços. Essa fase da prófase I é o diplóteno.

  • por fim, os pares de cromátides fastam-se um pouco mais e os quiasmas parecem “escorregar” para as extremidades; a espiralação dos cromossomos aumenta. É a fase conhecida por diacinese.

Metáfase I – os cromossomos homólogos pareados se dispõem na região mediana da célula; cada cromossomo está preso a fibras de um só pólo.

Anáfase I – o encurtamento das fibras do fuso separa os cromossomos homólogos, que são conduzidos para os pólos opostos da célula e não há separação das cromátides-irmãs. Quando os cromossomos atingem os pólos, ocorre sua desespiralação, embora não obrigatória, mesmo porque a segunda etapa da meiose vem a seguir. Às vezes, nem mesmo a carioteca se reconstitui.

Telófase I – no final desta fase, ocorre a citocinese, separando as duas células-filhas haplóides. Segue-se um curto intervalo a intercinese, que procede a prófase II.

ETAPAS DA MEIOSE II

Prófase II – o DNA restante nas células se condensa formando cromossomos curtos. Cada par de cromossomos possui um centrômero. Os centríolos iniciam sua jornada para lados opostos da célula. e as células em que houve formação da carioteca, esta começa a se desintegrar.

Metáfase II – nesta etapa os cromossomos já estão alinhados no centro da célula e os centríolos estão preparados para duplicação.

Anáfase II – Ocorre duplicação dos centrômeros, só agora as cromátides-irmãs separam-se (lembrando a mitose).

Telófase II e citocinese – com o término da telófase II reorganizam-se os núcleos. A citocinese separa as quatro células-filhas haplóides, isto é, sem cromossomos homólogos e com a metade do número de cromossomos em relação à célula que iniciou a meiose.

 

 

Finalizamos por aqui a parte de divisão celular.

Continue acompanhando o blog… Logo iremos disponibilizar questões sobre o assunto pra você treinar e se dar bem nas provas!!!

Abraço!

Graduada em Nutrição pela Favip/Devry. Amo Biologia. Sempre estudei e me esforcei para alcançar meus objetivos. Acredito que a educação pode mudar as pessoas... Conheci o EducaHelp, que com posts simples trazia conteúdo objetivo! Agora sou Colunista e espero ajudar outros estudantes a compreender o maravilhoso mundo da BIOlogia!
COMPARTILHE!

Raquel Gomes

Graduada em Nutrição pela Favip/Devry. Amo Biologia. Sempre estudei e me esforcei para alcançar meus objetivos. Acredito que a educação pode mudar as pessoas... Conheci o EducaHelp, que com posts simples trazia conteúdo objetivo! Agora sou Colunista e espero ajudar outros estudantes a compreender o maravilhoso mundo da BIOlogia!

Gostou? Deixe uma resposta!