DARCY RIBEIRO E A FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL DO BRASIL

Seja bem-vindo tripulante à nave investigadora!

A aula dessa semana é a quarta e última de uma série de aulas que tem como eixo central o estudo do seguinte tema: Cultura e diversidade cultural. Será abordada a cultura e diversidade cultural brasileira, sob a contribuição de um dos intelectuais mais engajados na luta política e social que o país teve. Refiro-me aqui ao antropólogo, escritor e senador Darcy Ribeiro (1922-1997). Assim, a partir das próximas aulas será visto os seus estudos sobre a formação étnico-social do povo brasileiro, basicamente no seu livro O povo brasileiro, citado abaixo nas referências. Este presente texto, portanto, tem o intuito de introduzir o leitor(a)-aluno(a) ao tema e delinear os passos das aulas futuras.

Mineiro de Montes Claros, Darcy Ribeiro veio para São Paulo e especializou-se em Antropologia e, como era uma área de pesquisa comum na época, foi estudar os índios brasileiros, com as suas origens, simbologias, linguagens, formações sociais e relações entre grupos étnicos diferentes, etc… Em suma, Ribeiro buscou compreender a formação social e cultural dos índios como um todo e, na sua particularidade, como se organizavam em etnias diferentes e se relacionavam com o restante da população brasileira. Basta lembrarmos que essa “linha de pesquisa científica” tinha como um dos objetivos gerais, na época (Basicamente a partir da década de 1940), entender as “origens e identidade enquanto povo” para enfrentarmos os desafios da modernização capitalista e, complementar a isso, “acharmos o nosso lugar no mundo” como povo/nação. Tais temas acompanharam o pesquisador ao longo de sua trajetória acadêmica e política, consubstanciando na sua obra final (1995), citada anteriormente, O povo brasileiro, que tem como um dos temas centrais explicar a “miscigenação sociocultural” existente no Brasil. Para isso, o autor lança mão das três “matrizes étnicas” que, entre “encontros e desencontros” formaram esse país, a saber: Matriz Lusa, Matriz Afro e Matriz Tupi.

Finalizando esta parada e nos preparando para daqui em diante, faz-se necessário explicar, grosso modo, o significado de etnia e como se diferencia de raça. De acordo com o site Brasil Escola, etnia pode ser definida “como o sentimento de pertencer a determinado grupo [social] com o qual o indivíduo partilha a mesma língua, tradições e território”; em suma, a mesma cultura. Por outro lado, raça, conforme o mesmo site, “… está ligada a uma concepção biológica, dando a entender que as diferenças entre grupos étnicos estão ligadas a predisposições biologicamente inatas”; portanto, não construída social e historicamente. Ver mais em: Etnia – Brasil Escola

 

Para ler as aulas anteriores, clique no link abaixo:

Blog EducaHelp – Sociologia

 

INDICAÇÕES DE LEITURA

– CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Editora Edusc.

– RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. Editora Companhia das letras.

– Audiovisual público: Documentário: O povo brasileiro (A partir de obra de Darcy Ribeiro)

– RIBEIRO, Darcy. O Brasil como problema. Editora Global.

TOMAZI, Nelson D. Sociologia para o ensino médio. Editora Saraiva.

Sociólogo formado pela FESPSP (Fundação Escola e Sociologia e Política de São Paulo). Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Militante político e cultural.
COMPARTILHE!

Kassiano César de Souza Baptista

Sociólogo formado pela FESPSP (Fundação Escola e Sociologia e Política de São Paulo). Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Militante político e cultural.

Gostou? Deixe uma resposta!