EMBRIOLOGIA

EMBRIOLOGIA

A embriologia é a ciência que estuda a formação dos órgãos e sistemas de um animal, a partir de uma célula.

Os aspectos a serem estudados na postagem de hoje serão: tipos de ovos, segmentações, sequência do desenvolvimento embrionário e organogênese.

TIPOS DE OVOS

Os ovos serão classificados em 4 grupos de acordo com a quantidade e posição da reserva energética deles, chamada de lécito ou vitelo. Essa reserva energética normalmente é composta por lipídeos e proteínas e varia de acordo com o grupo animal.

  • Isolécito, oligolécito ou alécito: apresenta pouco vitelo, distribuído uniformemente pelo citoplasma e núcleo centralizado. É típico de mamíferos placentários, protocordados e equinodermos.
  • Mediolécito heterolécito ou diolécito: possui quantidade intermediária de vitelo e também apresenta o núcleo em uma extremidade da célula. Típico de anfíbios.
  • Megalécito ou telolécito completo: possui muito vitelo. O núcleo fica em uma extremidade da célula chamada de polo animal, enquanto que a outra extremidade, chamada de polo vegetativo é rica em vitelo. Esse tipo de ovo é característico de aves e répteis.
  • Centrolécito: possui uma quantidade intermediária de vitelo localizada ao redor do núcleo, o qual ocupa uma posição central. Característico de insetos e crustáceos.

SEGMENTAÇÃO

As primeiras mitoses que ocorrem após a formação do zigoto são chamadas de clivagem. Cada divisão gera o que chamamos de blastômeros.

  • Segmentação total ou heteroblástica: o ovo inteiro se divide, gerando dois blastômeros. Acontece em ovos oligolécitos e mediolécitos. Pode ser desigual ou igual.

                  ◘ Segmentação desigual: ocorre em ovos mediolecitos, em que, no processo de Segmentação, quando se tem quatro blastomeros, esses dão origem à oito células, sendo que quatro são menores (micrômeros) e quatro maiores (macromeros). Por.isso é desigual.
                  ◘ Segmentação igual: ocorre em ovos olitolexitos,  em que são formadas oito células do mesmo tamanho.

  • Parcial ou meroblástica: apenas uma parte do ovo divide-se. Acontece com ovos megalécitos e centrolécitos. Pode ser discoidal ou superficial.

                  ◘ Segmentação discoidal: ocorre em ovos megalécitos, nos quais as mitoses iniciais ocorrem apenas no polo animal da célula, gerando diversos blastômeros que constituem uma espécie de disco sobre a gema.

                 ◘ Segmentação superficial: ocorre em ovos centrolécitos, nos quais acontece primeiramente a divisão do núcleo,  formando uma única célula multinucleada. Posteriormente esses núcleos migram para a extremidade da célula e aí sim inicia-se a formação de blastômeros.

 

SEQUÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO

O organismo usado como base para os estudos do desenvolvimento é o anfioxo.

A sequência é mórula > blástula > gástrula > nêurula.

  • Mórula: conjunto de 16 à 32 células que formam uma massa compacta sem cavidade no interior.
  • Blástula: a mórula continua se dividindo  acaba delimitando uma cavidade preenchida com líquido. Esse estágio é chamado de blástula e a cavidade é o blastocele.
  • Gástrula: as células da blástula sofrem um processo de invaginação (são empurradas para o interior do blastocele), o que acaba delimitando uma cavidade, chamada arquêntero, que possui um orifício, o blastóporo. Nessa fase já é possível observar duas camadas celulares: o ectoderma (externo) e o endoderma  (interno). O arquiteto é o “intestino primitivo” do embrião e da origem ao sistema digestório. O blastóporo pode originar a boca (protostômios) ou o ânus (deuterostômios), dependendo do grupo animal

  • Nêurula: nessa etapa já é possível observar a presença do tubo neural, que posteriormente dará origem ao sistema nervoso. O ectoderma sofre dobramentos, dando origem ao tubo nervoso dorsal. O arquêntero sofre três invaginações, dando origem a notocorda e a duas bolsas mesodérmicas, que originam o mesoderma (tecido embrionário intermediário). O interior do mesoderma apresenta uma cavidade,  chamada celoma, a qual é preenchida por mesoderma.

ORGANOGÊNESE

A partir da fase de nêurula inicia-se a formação dos órgãos do indivíduo, sendo que cada um dos folhetos é responsável pela formação específica de alguns órgãos.

  • Ectoderma: origina a epiderme e seus anexos, o tubo neural, revestimento da boca e do ânus, esmalte dos dentes, cristalino dos olhos e receptores sensoriais.
  • Endoderma: origina o revestimento interno do tubo digestivo, do sistema respiratório e da bexiga urinária, além de órgãos como fígado e pâncreas.
    Mesoderma: origina notocorda  (estrutura que é substituída pela coluna vertebral nos vertebrados), sistema esquelético, musculatura esquelética, coração, vasos sanguíneos, sangue, rins, gônadas, derme, musculatura lisa, entre outros.
  • Mesoderma: origina notocorda  (estrutura que é substituída pela coluna vertebral nos vertebrados), sistema esquelético, musculatura esquelética, coração, vasos sanguíneos, sangue, rins, gônadas, derme, musculatura lisa, entre outros.
Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.
COMPARTILHE!

Beatriz Silva

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.

Gostou? Deixe uma resposta!