ESCOLA SOCIOLÓGICA ALEMÃ CLÁSSICA (PARTE II): A MICROSSOCIOLOGIA DE GEORG SIMMEL

Seja bem-vindo tripulante!

No último post aprendemos um pouco sobre a escola sociológica alemã clássica, especificamente o pensamento do sociólogo Max Weber (Ver mais em: http://blog.educahelp.com/escola-sociologica-alema-classica-parte-i-os-tipos-ideais-de-max-weber/ ). Nessa semana continuaremos na escola alemã, estudando a contribuição do sociólogo Georg Simmel (1858-1918).

Quando pesquisamos os “fundadores da sociologia”, aparecem nomes como dos franceses Auguste Comte e Émile Durkheim e dos alemães Max Weber e Karl Marx (No próximo texto veremos por que, não sendo sociólogo, Karl Marx é considerado fundador da sociologia). Simmel é um sociólogo importante, contemporâneo de Weber, tendo seus estudos influenciado a escola norte-americana de sociologia, mais conhecida como a Escola de Chicago. Qual é, portanto, tal influência?

Georg Simmel, também como o seu contemporâneo Weber, se inspirou no “idealismo alemão”, principalmente no idealismo do filósofo Kant, na “capacidade do sujeito humano e social de significar, mediante símbolos e linguagem, os objetos e o mundo exterior” (Ver link citado acima). Essa inspiração pode ser entendida como AS MANEIRAS de se entender, interpretar os fatos sociais e as ações dos indivíduos em sociedade, os conflitos de interesses existentes nas INTERAÇÕES SOCIAIS e quais os MODELOS (FORMAS) DE PENSAMENTO envolvidos, ou que estão por detrás das ações, motivando-as. Aqui está, grosso modo, a síntese do pensamento de Simmel. Uma das preocupações do autor era com as “formas de pensamento” que motivam as ações dos indivíduos e suas interações, pois, para ele, nas nossas ações e interações sociais existe uma “troca simbólica” entre elas (Base do conceito interacionismo simbólico, que veremos nas próximas aulas). Dando ênfase às relações “micro” e não enfatizando as “macrorrelações sociais” que Georg Simmel tem a sua importância dentro da Sociologia, sendo considerado um dos principais expoentes no que se refere à microssociologia.

Qual a relação que podemos fazer entre o pensamento de Simmel e o mundo de hoje? Uma das possíveis é com a educação. O sociólogo prioriza nos seus estudos a interação simbólica (cultural) entre os indivíduos e costumo enfatizar sempre que o processo de ensino e aprendizagem é uma interação social. As partes nela envolvidas devem estar dispostas a isso, para a troca de conhecimento ocorrer de uma forma satisfatória. O processo de ensinar e aprender somente tem êxito quando responsáveis, professores e alunos estão conectados na mesma sintonia. É o que defino como a tríade social do conhecimento, base da educação. Esse é um dos exemplos da influência do pensamento de Georg Simmel.

 

No próximo post a nossa “nave investigadora” continuará na Alemanha, investigando por que o pensamento de Karl Marx foi e é tão influente para a Sociologia, apesar do mesmo não ser sociólogo. Aguardem!!

 

INDICAÇÕES DE LEITURA (OBRAS DO PRÓPRIO PENSADOR)

– Ensaio sobre teoria da história;

– Filosofia da moda e outros escritos.

Sociólogo formado pela FESPSP (Fundação Escola e Sociologia e Política de São Paulo). Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Militante político e cultural.
COMPARTILHE!

Kassiano César de Souza Baptista

Sociólogo formado pela FESPSP (Fundação Escola e Sociologia e Política de São Paulo). Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Militante político e cultural.

Gostou? Deixe uma resposta!