Evolução

EVOLUÇÃO

Durante muito tempo o pensamento foi guiado pela filosofia, e teve alguns de seus conceitos incorporados pela Igreja Católica. A concepção, na época, era de um mundo estático, que é característica de uma visão denominada fixismo, a qual é apoiada pela interpretação literal do livro de Gênesis da Bíblia. Foi a partir do Renascimento (século XIII – XVII), com os trabalhos de cientistas como Kepler, Galileu, Newton e Copérnico que as concepções começaram a mudar. No século XVIII o aumento da descoberta de fósseis foi importantíssimo para o estabelecimento do conceito de evolução, desenvolvido no século XIX por Jean-Baptiste Lamarck, já que era necessário explicar a presença desses organismos inexistentes atualmente.
A partir do século XVIII foram acumuladas evidências de que o planeta sofre modificações e que os seres vivos adaptam-se ao ambiente. A esse conjunto de ideias damos o nome de transformismo, no qual a evolução é o mecanismo de mudança das espécies ao longo do tempo.

Entre as evidências da evolução temos: fósseis; anatomia, embriologia e bioquímica comparada; estruturas vestigiais e distribuição geográfica.

Ao falar-se de evolução temos dois nomes que se destacam: Jean-Baptiste Lamarck e Charles Robert Darwin.

Jean-Baptiste LamarckJean-Baptiste Lamarck (1744 – 1829): Segundo a teoria de Lamarck, os seres vivos passam de formas mais simples as mais complexas e considera-se que o ambiente é o fator que gera a necessidade de adaptação dos seres vivos, o que nos leva às duas leis lamarckicista. A lei do uso e desuso diz que as partes do corpo usadas mais intensamente desenvolvem-se mais, ao passo em que as partes pouco usadas são atrofiadas. Segundo a lei da herança dos caracteres adquiridos as mudanças ocorridas durante a vida do animal podem ser transmitidas aos descendentes.

Charles Robert DarwinCharles Robert Darwin (1809 – 1882): O darwinismo tem três pilares: variabilidade, seleção natural e adaptação. Ao contrário do pensamento lamarckcista, no darwinismo o ambiente realiza a seleção natural e não é o fator que gera a necessidade de mudança. Vale ressaltar que Darwin não conseguiu elaborar uma explicação para a variabilidade dos seres vivos. Isso só foi possível com o auxílio da genética. A união dos conceitos evolutivos de Darwin com os conhecimentos da genética dá origem ao que chamamos de neodarwinismo ou teoria sintética da evolução.

Recapitulando… Para Lamarck o ambiente gera a necessidade e temos uma adaptação ativa. Para Darwin o ambiente atua sobre a variabilidade e temos uma adaptação passiva.

Antibióticos e evolução: em alguns casos em que há o uso prolongado de antibióticos, após um tempo ele deixa de ter o efeito esperado e é comum ouvirmos explicações como “as bactérias ficaram resistentes ao antibiótico”, o que é uma explicação errada. O que acontece é que na população de bactérias existiam bactérias sensíveis ao antibiótico e bactérias resistentes. O antibiótico agiu como um agente da seleção natural e eliminou as bactérias sensíveis, e desse modo, as resistentes passaram a predominar.

MECANISMOS DE ESPECIAÇÃO

Em primeiro lugar precisamos definir o conceito de espécie. Chamamos de espécie um grupo de indivíduos semelhantes com potencial de reprodução e geração de descentes férteis.

Quando espécies diferentes se cruzam, na maioria dos casos, têm-se embriões que não conseguem completar o desenvolvimento ou indivíduos estéreis. A probabilidade de fecundação é maior entre espécies que tem parentesco próximo, como o cruzamento entre jumento e égua, gerando os híbridos burros (masculino) e mulas (feminino). O burro é estéril e a mula pode ser fértil, mas resulta em descendentes estéreis.

Tipos de espécies

– Simpátricas: espécies que vivem em um mesmo ambiente, pertencendo a mesma comunidade biológica.
– Alopátricas: espécies que vivem em diferentes ambientes, ou seja, estão em isolamento geográfico.

Mecanismo de especiação

  • Especiação simpátrica: formação de novas espécies em um mesmo ambiente, ou seja, sem isolamento geográfico. São frutos de mutações cromossômicas.
  • Especiação alopátrica: formação de novas espécies com isolamento geográfico. A especiação alopátrica inicia-se com a separação da espécie em duas populações por uma barreira física como montanhas, mares, desertos etc, com isso as espécies encontram-se em isolamento geográfico e com o fluxo de genes interrompido. Surgem indivíduos portadores de mutações e a seleção natural age, após um tempo existem muitas diferenças entre os grupos. Ao chegar-se em um isolamento reprodutivo, dizemos que surgiu uma nova espécie.
    É possível que tenha se formado também novas raças, que são grupos dentro da mesma espécie que possuem diferenças mas não encontram-se em isolamento reprodutivo.

Mecanismo de especiação

  • Irradiação adaptativa: é o processo que ocorre quando um ancestral ocupa ambientes diferentes e as espécies apresentam aspectos diferentes mas possuem semelhanças internas, ou seja, possuem membros homólogos.
  • Convergência adaptativa: é o processo no qual diferentes seres vivos vivem em um mesmo ambiente e portanto são submetidos a pressões seletivas similares. Formam-se espécies com semelhanças externas, ou seja, possuem membros análogos.

 

QUESTÕES sobre Evolução

01. FAMERP (2017). A imagem ilustra duas espécies de esquilos (Ammospermophilus harrisii e Ammospermophilus leucurus) encontrados em diferentes áreas do Grand Canyon nos Estados Unidos.

a) Cite o tipo de especiação que possibilitou a formação dessas espécies de esquilos. Justifique sua resposta.

 

02. (Mackenzie-SP) A teoria moderna da evolução, ou teoria sintética da evolução, incorpora os seguintes conceitos à teoria original proposta por Darwin

a) mutação e seleção natural.

b) mutação e adaptação.

c) mutação e recombinação gênica.

d) recombinação gênica e seleção natural.

e) adaptação e seleção natural.

 

03. (Fuvest-SP) Uma ideia comum às teorias da evolução propostas por Darwin e por Lamarck é que a adaptação resulta

a) do sucesso reprodutivo diferencial.

b) de uso e desuso de estruturas anatômicas.

c) da interação entre os organismos e seus ambientes.

d) da manutenção das melhores combinações gênicas.

e) de mutações gênicas induzidas pelo ambiente.

 

Resolução comentada

01. O tipo de especiação que permitiu a formação das duas espécies foi a especiação alopátrica, já que houve um isolamento geográfico.

02. Como dito no texto, Darwin não elaborou uma explicação consistente para os fenômenos observados. A explicação veio com os conceitos de genética, portanto, a resposta correta é C: mutação e recombinação gênica.

03. Apesar de discordar da posição que o ambiente ocupava na evolução dos seres vivos, ambos afirmavam que existia uma interação entre eles, portanto, alternativa C.

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.
COMPARTILHE!

Beatriz Silva

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.

Um comentário em “Evolução

Gostou? Deixe uma resposta!