Fluxo de Energia e Matéria na Natureza

Fluxo de Energia e Matéria na Natureza

A primeira análise que temos que fazer em relação ao tema é que a energia tem fluxo unidirecional e a matéria de fluxo cíclico, mas afinal, o que isso significa? Enquanto a matéria é constantemente reciclada no ambiente, a energia entra sob a forma de energia luminosa, sofre transformações e é dissipada em energia térmica, ou seja, calor.

PIRÂMIDES ECOLÓGICAS

Uma das ferramentas para analisar esses fluxos são as pirâmides ecológicas. As pirâmides ecológicas são diagramas formados por retângulos que indicam a quantidade daquilo que está se analisando de acordo com o nível trófico. O retângulo da base representa os produtos e os acima representam os consumidores, os decompositores são representados por um retângulo ao lado da pirâmide ou ligado ao retângulo dos produtores ou são ocultados. Estudaremos três tipos de pirâmides ecológicas.

Pirâmide De Número

Na pirâmide de número, o que se é analisado é a quantidade de indivíduos. Uma cadeia que representa essa informação pode ser normal ou invertida.

Pirâmide de número BiologiaPirâmide de número Biologia

Conforme os exemplos das imagens. 01.  Um pardal come vários gafanhotos que comem vários capins. 02. Uma única árvore serve de alimento para vários pulgões, os quais servem de alimento para vários parasitas.

 

Pirâmide De Energia

Esse tipo de pirâmide representa a quantidade de energia química de cada nível trófico.

A principal fonte de energia para os organismos de um ecossistema é a luz, a qual é convertida em energia química. Vale ressaltar que sempre parte da energia é dissipada na forma de calor, portanto essa pirâmide NUNCA SERÁ INVERTIDA.

É também importante analisar os conceitos de Produtividade Primária Bruta e Líquida. PPB é a matéria orgânica gerada pelos produtores através da fotossíntese, já o PPL é dada pela diferença entre a matéria produzida (PPB) e o consumo pela respiração (R, energia dissipada), ou seja, PPL = PPB – R

Pirâmide De Energia

Pirâmide De Biomassa

Essa pirâmide representa a quantidade de biomassa por nível trófico, ou seja, o peso seco. Ela pode ser invertida ou normal.

Pirâmide De Biomassa

Em ambientes terrestres a massa dos produtores é maior do que a massa dos consumidores primários, que é maior que a dos consumidores secundários e etc, portanto, é uma pirâmide normal.

 

Em ambientes aquáticos temos uma pirâmide invertida, já que o fitoplâncton (produtores) é constituído em sua maioria por organismos unicelulares. Então a massa dos produtores é menor que a massa dos consumidores primários, que é menor que a massa dos consumidores secundários e etc.

 

Os ciclos biogeoquímicos também são importantes ao falarmos de fluxo de energia e matéria, mas deixarei um próximo post dedicado somente à eles, portanto (SPOILER ALERT) fiquem ligados na próxima semana.

SUCESSÃO ECOLÓGICA

Sucessão ecológica é o processo por qual uma comunidade pode passar, tendo seus componentes substituídos e sendo, portanto, alterada significativamente. A sucessão tende a dar origem a uma comunidade clímax.

Comunidade Clímax

Comunidade clímax é uma comunidade em que, com as condições naturais, tem a maior biodiversidade e biomassa, portanto, tem também uma grande variedade de nichos ecológicos e uma teia alimentar complexa.

Com as condições ambientais estáveis, essas comunidades tendem a reciclar a matéria, incluindo o carbono (por isso a floresta amazônica não é o “pulmão do mundo”). A matéria orgânica gerada, também chamada de produtividade bruta (PB) é consumida na respiração celular. Dessa forma, a produtividade líquida (PL, diferença entre o que é produzido e o que é consumido na respiração) é igual a zero.

PL = PB – R, em uma comunidade clímax, PB = R, portanto PL = 0

Sucessão Primária

A sucessão primária ocorre em ambientes que eram praticamente inabitáveis e ela possui três fases: ecese, sere e clímax.

Sucessão Primária

Ecese: é a fase inicial em que o ambiente passa a ser colonizado por espécies pioneiras, ou seja, capazes de viver nas condições singulares do ambiente.

Sere: é a fase em que o solo está um pouco mais profundo e permite o desenvolvimento de plantas com um porte um pouco maior e, consequentemente, pequenos animais também passam a viver no ambiente.

Nos estágios se ecese e sere há um aumento da biomassa, ou seja, a fotossíntese supera a respiração, dessa forma PL = PB – R, em que PL > 0

Clímax: nessa fase o solo já está bem espesso e permite o desenvolvimento de plantas de grandes portes, alcançando a máxima biodiversidade e biomassa.

Sucessão Secundária

A sucessão secundária ocorre com a substituição de uma comunidade por outro tipo de comunidade, como, quando, por exemplo, uma lagoa sofre assoreamento e ali se desenvolve uma floresta.

Sucessão Secundária

A modificação das condições ambientais é fundamental para que ocorra a sucessão secundária. Entre as modificações podemos citar fatores externos como fogo, vulcões, assoreamento, além da atividade humana que provoca desmatamento, incêndios, erosão e etc.

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.
COMPARTILHE!

Beatriz Silva

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.

Gostou? Deixe uma resposta!