Fusos horários teóricos e práticos

Entenda a diferença e a função dos fusos horários teóricos e práticos.

1. Antes vamos relembrar o que é fuso horário

Semana passada aprendemos que os fusos horários são linhas imaginárias traçadas em referência ao Meridiano de Greenwich (0º). Ao todo temos 24 fusos horários divididos em 15º de longitude. Este cálculo é feito por conta da noção que a circunferência possui 360º e demora 24 horas para completar o movimento de rotação (movimento da Terra em torno do seu próprio eixo). A cada 1 hora percorrida corresponde a um deslocamento de 15º da superfície. Leia a explicação de Giometti e Vieira (2016):

Partindo do conceito de que a circunferência possui 360º e leva vinte e quatro horas para dar um giro completo de oeste para leste quando executa seu movimento de rotação em torno do seu eixo imaginário, conclui-se que cada hora corresponde a um deslocamento de 15º em sua superfície. Isto reflete diferentes horários na superfície terrestre, o que corresponde à dinâmica entre o dia e a noite. Temos, assim, as vinte e quatro horas distribuídas entre uma face terrestre iluminada por doze horas – correspondendo ao dia –, e a outra face que permanece por doze horas na sombra que está sendo projetada pela própria Terra – é a noite (GIOMETTI; VIEIRA, 2016, p.329).

2. Fuso horário teórico e prático

Agora, veremos sobre os dois modelos de fusos horários: o teórico e o prático. .

O fuso horário teórico

O fuso horário teórico é determinado pela Hora do Fuso, ou seja, pelo meridiano de Greenwich. O seu traçado é contínuo, sem alterar sua linha nas fronteiras dos países ou regiões.

Resultado de imagem para fuso horário teórico

Diante disso, um país com tamanho considerável (de leste a oeste) pode ser facilmente cortado por mais de um fuso horário. Por exemplo, Estados Unidos tem 5 fusos horários, desde a costa leste até a costa mais a oeste (Alasca). Já o Brasil tem 4 fusos. Imagine que a população possa ter problemas para determinar seus horários no momento em que cruzar outras regiões de seu país.

Para evitar complicações sobre a diferença de horários nesses países, é determinado um horário prático.

O fuso horário prático

Nesse modelo prático, os fusos horários são adaptados às divisas dos estados ou países. Com isso, evita-se a inserção de mais de um fuso em pequenas regiões. A esse modelo prático chamamos de fuso horário civil ou político, que determina a Hora Legal ou oficial.

Imagem relacionada

A hora oficial é determinada pelo fuso horário que passa pela capital do país ou da região. O motivo obviamente é que uma capital é considerada o centro político e econômico e portanto, e os demais locais devem seguir o horário da capital.

Sem essa adaptação do modelo prático, os estados nordestinos como Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas estaria divididos entre o 1º e 2º fuso brasileiro (para saber mais, leia aqui).

Referências bibliográficas

GIOMETTI, Analúcia Bueno dos Reis; VIEIRA, Neuza Machado. Que horas são?. Unesp: Unesp Aberta. Ensino a distância. Janeiro de 2016. Disponível em: http://unespaberta.ead.unesp.br/

Graduado e mestre em Geografia pela Unesp, campus de Presidente Prudente (SP). É atualmente professor de geografia em escolas particulares e públicas e professor de geopolítica em cursinho preparatório para vestibular. Escreve no Geografia no Vestibular e no Educa Help.
COMPARTILHE!

Leandro Nieves

Graduado e mestre em Geografia pela Unesp, campus de Presidente Prudente (SP). É atualmente professor de geografia em escolas particulares e públicas e professor de geopolítica em cursinho preparatório para vestibular. Escreve no Geografia no Vestibular e no Educa Help.

Gostou? Deixe uma resposta!