Inglês para crianças: dicas de como melhorar o processo de memorização dos pequenos!

Hey everybody!

Teacher Alê na área!

Nosso post hoje é sobre ensinar inglês para crianças. Além de trabalhar com adultos também trabalho com crianças em duas escolas municipais e como os recursos nem sempre são os que esperamos temos que nos “virar nos 30”. Hoje apresento duas atividades que eu usei com a 1ª série (2º ano) e a 2ª série (3º ano).

1ª série

Com 7 anos de idade a criança ainda está no processo de aquisição da leitura e da escrita, e aprendem muito bem com o que é real e significativo em seu meio, fazendo referência ao sociointeracionismo de Vygostky. O que mais relevante para a criança do que trabalhar com seu próprio nome?

Usando duas folhas sulfite escreva (ou faça no Word) o alfabeto (com hidrocor ou lápis de cor) dividido da letra A a M e na outra folha de N a Z. trabalharemos as cores amarela, verde, vermelha, preta, azul e marrom. Na primeira folha as letras amarelas são A, H, I, L; as verdes são B, C, D, E, G e as vermelhas são F, J, K e M. Na segunda folha as vermelhas são N, S e X; as pretas são O e Y, as verdes são P, T, V e Z e as azuis são Q, U e W. Podemos fazer uma moldura de papel duro e colocar Contact para conservar e usar em outras aulas. As etapas são:

1. O professor vai apresentando as letras, com as duas folhas apoiadas ou coladas na lousa, apontando mas não dizendo o nome, e sim dizendo a cor, sem escrever nada na lousa, somente na forma oral. As crianças somente ouvem. O professor faz a apresentação novamente e as crianças repetem as cores.
2. As crianças copiam o alfabeto com as cores correspondentes no seu caderno e depois escrevem seu próprio nome com as cores correspondentes. Assim que forem acabando vêm mostrar ao teacher quais cores seu nome contém. O professor deve sempre repetir as cores com os alunos.
3. As cores novas da segunda parte do alfabeto começam todas com a letra B (black, brown e blue).
4. Numa outra aula o professor pode começar a apresentar o som das letras do alfabeto em inglês, usando o mesmo material dizendo, “Quem aqui tem o nome que começa com a letra A (êi)?”, se não houver ninguém diga, “Nobody?”, “Alguém se lembra o nome da cor da letra A in English?”. É um trabalho que deve ser dividido em várias aulas e revisado constantemente, ativando o conhecimento prévio dos alunos.
5. Lembrem-se, apesar da agitação e de inúmeros fatores que possam perturbar a aula, os pequenos sempre merecem nosso sorriso e muitos “Very good!” “Congratulations”, “Wonderful”. Afinal, quem não gosta de elogios?
6. Último detalhe: a oralidade, a audição e “botar a mão na massa” garantem ótimos resultados. Explore mais seu inglês, dê mais comandos em inglês, exponha seu aluno ao máximo à língua inglesa.

2ª série

Sempre me preocupei muito com a fala de alguns colegas que subestimavam a capacidade de compreensão e produção das crianças. Depois de ler alguns livros do Michael Lewis sobre o Lexical Approach me veio uma idéia e resolvi coloca-la em prática. Meu planejamento continha “períodos do dia”, “refeições” e “atividades diárias” (levantar, ir à escola, etc.). Fiquei pensando, preparei as seguintes “phrases” e coloquei na lousa:

WHEN ? – quando ?

IN THE MORNING – de manhã
IN THE AFTERNOON – de tarde
IN THE EVENING – de noite

GO TO SCHOOL – ir à escola
HAVE LUNCH – almoçar
HAVE DINNER – jantar
PLAY – brincar
GO TO BED – ir dormir

Na 2ª série os alunos copiam um pouco mais rápido (aprox. 20 minutos). Então passamos para a prática oral. Veja:

1. Pergunte aos alunos: “Agora estamos in the morning, in the afternoon ou in the evening”? Peça que repitam, “in the morning”, etc.
2. “Quando vamos à escola? In the morning? Yes or no? In the afternoon? Yes or no?” etc. Vá trocando as palavras para formar uma frase somente em inglês: “Quando nós go to school?”, “Quando do we go to school?”, “When do we go to school?”, sempre dando as opções dos períodos. “Quando tomamos café da manhã?”, daí espera-se a resposta “in the morning”, etc.
3. Faça isso (a seu critério e tempo) com as outras atividades, utilizando mímicas, desenhos na lousa, falando a phrase em uma parte, “Qual é a palavrinha que combina com lunch? Play? Noooo! É have! E com bed, cama, bed, cama! É have? Não, alguém pode vir à lousa e apontar qual palavra é?”
4. E assim por diante. É interessante o professor ter seu roteiro de perguntas à mão para não se perder. Como complemento o professor pode trazer alguns flashcards (feitos por ele ou impressos) e também usa-los na aula. Aula com criança sem agitação? Jamais! Prepare-se para problemas de disciplina, crianças dispersas y otras cositas más, que são ossos do ofício, não!!?

Espero que vocês tenham curtido as nossas idéias! E já sabem: nada melhor que compartilhar saberes para melhorar o aprendizado, então use o idioma que você está estudando para compartilhar com seus filhos/as, sobrinhos/as e todos aqueles que estiverem ao seu redor…. Os pequenos adoram novidades e você treina aquilo que aprendeu!

Bons estudos!

Cursou Língua Inglesa para aperfeiçoamento pelo Programa Inglês Sem Fronteiras pela CAPES. Ministrou curso de Língua Espanhola em um curso específico preparatório para o ENEM no CCAA de Rio Casca, em Minas Gerais. Atuou como facilitadora de língua inglesa - Pro Jovem Adolescente (2009/2011), na Wizard Idiomas (2005/2009), na Neway Idiomas (2012) e na MinasBrasil Cursos & Idiomas (2015/2016; docente de Inglês Instrumental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará pelo programa federal PARFOR, onde atuou como bolsista e pelos cursos técnicos em Eventos e Informática para Internet.
COMPARTILHE!

Alessandra Ramalho

Cursou Língua Inglesa para aperfeiçoamento pelo Programa Inglês Sem Fronteiras pela CAPES. Ministrou curso de Língua Espanhola em um curso específico preparatório para o ENEM no CCAA de Rio Casca, em Minas Gerais. Atuou como facilitadora de língua inglesa - Pro Jovem Adolescente (2009/2011), na Wizard Idiomas (2005/2009), na Neway Idiomas (2012) e na MinasBrasil Cursos & Idiomas (2015/2016; docente de Inglês Instrumental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará pelo programa federal PARFOR, onde atuou como bolsista e pelos cursos técnicos em Eventos e Informática para Internet.

Gostou? Deixe uma resposta!