Introdução à Ligação Química ( Parte I) – Ligação Iônica

Oiee, gente, tudo bem com vocês?

Como foi o final de semana? Deu para estudar?

Enfim, vamos falar um pouco de ligação?

Não é para o crush,  nem pra mãe (Um dia eu paro com essas piadas HORRÍVEIS) e sim LIGAÇÃO QUÍMICA.  <3

Ligações Químicas acontecem quando dois ou mais átomos se unem para formar moléculas. Há várias formas que esses átomos podem se unir e formar suas ligações, todavia, com esse post iremos abordar sobre um tipo específico de ligação : Ligação Iônica. 

ligação iônica é formada pela atração eletrostática entre íons(por isso ligação Iônica) de cargas opostas, negativos (ânions) e positivos (cátions).

Vamos deixar essa definição mais simples?É basicamente quando um átomo “cede” elétron e o outro “recebe” esse elétron.  

Para entendermos esse tipo de ligação é necessário alguns conhecimentos prévios.

Os átomos da maioria dos elementos químicos conhecidos  não aparecem isolados na natureza, com exceção dos gases nobres. A maioria dos materiais presentes em nosso cotidiano são substâncias que podem ser simples (constituídas de átomos de somente um tipo de elemento químico O2) ou compostas (possuem átomos de dois ou mais elementos químicos diferentes H2O).

Isso acontece porque os átomos têm uma certa “necessidade” de realizar ligações químicas com outros átomos, que podem ser do mesmo elemento ou de elementos diferentes,para que então possam ficar estáveis.

Os gases nobres são da família 18 ( 8B) da Tabela Periódica ( He, Ne, Ar, Kr, Xe e Rn – lio Negou Arroz a Kristina e foi ver Xena com Renata), sendo que, todos esses elementos têm em comum o fato de possuir 8 elétrons na camada de Valência ( última camada eletrônica), com exceção do Hélio.  A partir surgiu, a “Teoria ou Regra do Octeto” postula que um átomo adquire estabilidade quando possui 8 elétrons na camada de valência ou 2 elétrons quando possui apenas uma camada (K) , criada por  por Gilbert Newton Lewis (1875-1946), químico estadunidense e Walter Kossel (1888-1956), físico alemão.

Para tanto, o átomo, na ligação iônica,  procura sua estabilidade doando ou recebendo elétrons em sua camada de valência.

MAS O QUE É ESSA CAMADA DE VALÊNCIA?

A camada de valência é o nível mais afastado do núcleo de um átomo e pode ser determinada por meio de distribuição eletrônica do diagrama de Linus Pauling. 

Distribuição Eletrônica

Percebe-se que a distribuição de elétrons é feita de forma diagonal e interpretamos o diagrama da seguinte maneira:

número quântico principal (n) é representado pelos números inteiros:

  • K= 1
  • L= 2
  • M=3
  • N=4
  • O=5
  • P=6
  • Q=7

número quântico Azimutal (l), conhecido também como subnível energético é representado pelas letras: s, p , d, f. 

No qual essas “setinhas” representam a quantidade de elétrons que cada subnível suporta.

Agora vamos deixar isso mais claro? 

Basicamente é só você pensar que, cada camada é composta por outras “pequenas” camadas. Simples, o subnível “s” suporta até 2 elétrons, o subnível “p” suporta até 6 elétrons, o subnível “d” suporta até 10 elétrons e por fim, o subnível “f” suporta 14 elétrons.  Resultado de imagem para camada de valencia na tabela periodica

Enfim, agora temos o conhecimento básico para entendermos as ligações iônicas. 

Basicamente as ligações iônicas são formadas por metais ( “doa” e – bonzinho) e ametais ( “Recebe” e  ) e podem ser facilmente reconhecidos ao analisarmos a quantidade de elétrons na última camada, metal possui 1, 2 ou 3 e– ametal 5, 6 ou 7 e.

PEGUE SUA TABELA PERIÓDICA.

Sódio reage com Cloro?

 

Vamos fazer a distribuição de Pauling para descobrirmos quantos elétrons eles têm na última camada? 

Na ( Sódio )  = 11 e

Na ->  K= 1s² L= 2s² 2p6 M= 3s¹ , ou seja, na última camada o “Na” tem 1 e , logo ele é o metal e vai “doar” seu elétron.

Cl ( Cloro)   = 17 e

Cl ->  K = 1s² L= 2s² 2p6 M= 3s2 3p5 , ou seja, na última camada o “Cl” tem 7 e, lembrando que camada NÃO é subnível, por isso o Cloro tem 7 e–  na camada de valência e não 5 e , pois “somamos” a quantidade de elétrons presentes no subnível e obtemos a quantidade de elétrons que possui na camada. logo ele é o ametal.

Na+ + Cl = NaCl  ( Cloreto de Sódio)

Seguindo a regra do Octeto o Cloro ficará satisfeito por ter ganhado 1 e–  e ficado com 8 e e o Sódio ficará satisfeito pois deu seu 1 e–  e ficou com 8 e na camada de valência.

Resultado de imagem para sódio e cloro

Bom, vou deixar esse conceito até aqui, no próximo post iremos praticar com alguns exercícios e no final desse tema eu dou a resposta deles, resolvido e explicado. Ressaltando que, ainda vamos ver outros tipos de ligações, mas não se preocupe é fácil.

img_1113

PS: NÃO FIQUE COM DÚVIDAS.

DÚVIDAS, SUGESTÕES E CRÍTICAS, FAVOR COMENTAR! <3

COMPARTILHE!

Um comentário em “Introdução à Ligação Química ( Parte I) – Ligação Iônica

Gostou? Deixe uma resposta!