Os Povos Bárbaros

Quem são os bárbaros?

Bárbaro, para os romanos, era aquele que não falava latim, que habitava além das fronteiras do Império. Ou seja, povos que não tinham a cultura romana, os “não romanos”. Nessa denominação encontra-se uma gama inúmera de povos. Os principais grupos bárbaros eram:

  • Os germanosostrogodos, visigodos, hérulos, saxões, francos, burgúndios, anglos, vândalos, lombardos, etc.
  • Os eslavos: antepassados dos russos, checos, croatas, ucranianos, etc.
  • Os tártaro-mongóishunos, turcos, búlgaros, húngaros, etc.

As sucessivas invasões desse povos levaram o império Romano à ruína. As primeiras incursões foram pacíficas, mas, posteriormente, em busca de melhores terras ou fugindo das invasões de outros povos, os bárbaros foram obrigados a penetrar no Império violentamente.

Vindos da Ásia, os hunos, conhecidos por sua ferocidade, pressionaram outros povos, que por sua vez invadiram a terra de outros, causando assim o efeito dominó até as fronteiras romanas.

Os germanos foram os povos que mais fizeram essas incursões, por isso, muitas vezes, acabaram se tornando soldados do Império.

Os bárbaros não tinham Estado organizado, eram politeístas e cultuavam seus antepassados. Como a maioria desconhecia a escrita, utilizavam o direito consuetudinário, ou seja, baseado nos costumes. Segundo o historiador romano Tácito, que observou grupos germanos por alguns anos, o poder político estava nas mãos de uma assembleia de guerreiros, eram monogâmicos e a mulher tinha direitos iguais aos do homem. As tarefas eram divididas, mas não havia hierarquia entre os sexos.

“Curiosidade”: O direito dos bárbaros

Não existiam normas jurídicas escritas, por isso seu direito era consuetudinário, transmitido de geração em geração. Quando algum membro saía das normas do grupo, eram aplicados os ordálios, um tipo de prova frequentemente utilizada nos julgamentos. O acusado era submetido a provações como suplício ao fogo ou imersão na água: se o acusado resistisse ou sobrevivesse, desfecho interpretado como vontade divina, era sinal de que era inocente.

Outra característica importante dos povos germanos era o Comitatus, instituição social germânica que estabelecia um pacto de fidelidade entre o chefe e seus guerreiros. Esse acordo vai ser herdado pelo feudalismo no pacto de suserania e vassalagem.

Os bárbaros deram o golpe final numa sociedade que já se apresentava em decadêncioa desde o século III. A ruralização do Império, já em andamento, foi favorecida pelas invasões bárbaras, intensificando o sistema de colonato. Em 476, Odoacro, rei dos hérulos, deu o golpe final no Império, retirando do poder Rômulo Augusto, o último imperador romano do Ocidente.

Com a fragmentação política, muitos reinos bárbaros se formaram, uns com curta duração, outros mais estáveis, como foi o caso dos francos.

Londrinense, 22 anos, graduando de História pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Além da história, possui uma enorme admiração por astronomia e assuntos relacionados ao universo.
COMPARTILHE!

Lucas Valle

Londrinense, 22 anos, graduando de História pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Além da história, possui uma enorme admiração por astronomia e assuntos relacionados ao universo.

Gostou? Deixe uma resposta!