SOCIOLOGIA E PENSAMENTO SOCIAL NO BRASIL

Seja bem-vindo tripulante.

O artigo dessa semana é introdutório para entendermos a Sociologia brasileira. Nele o autor tem o objetivo de contextualizar a chegada da sociologia no Brasil, principalmente no que tange à convivência (ou choque?!) com a tradição existente, até então, de pensar a sociedade: Jornalistas, Juristas, Literatos e outros que, juntos, formam aquilo que se convencionou denominar de “Pensamento social brasileiro”; tendo como característica central – o que será a diferenciação com a “ciência própria dos estudos da sociedade (Sociologia)” – o estilo ensaísta dos seus escritos.

Após a “derrota” de São Paulo para o Governo provisório de Getúlio Vargas na revolução de 1932, ficou uma certeza para o empresariado brasileiro: Não conhecemos o Brasil! Numa tentativa de reverter isso, em 1933, é criada com o apoio do empresariado paulista a ELSP (Escola Livre de Sociologia e Política), a primeira destinada ao ensino de sociologia no país. Neste mesmo ano o sociólogo Gilberto Freyre publicava a sua fundamental obra, “Casa-grande e Senzala”. Porém, antes disso já havia autores (pré-sociologia) que faziam análise da sociedade brasileira: Padre Antonio Vieira, Joaquim Nabuco, Euclides da Cunha, Paulo Padro, Oliveira Viana, Azevedo Amaral e Alberto Torres, para citar alguns. Os três últimos representam a “tríade” do “pensamento autoritário brasileiro”. E o que falar de Machado de Assis? Com os seus contos mapeou as relações sociais no seio da província do Rio de Janeiro, a capital da recente República Federativa do Brasil, proclamada em 1889.

A tradição de pensamento social permaneceu após a entrada da sociologia no Brasil. Esse é um fenômeno cultural do nosso país e, embora alguns gastem suas energias para tentar “demarcar o campo” da sociologia dentro das Ciências Humanas e Sociais, o mais plausível – ainda mais quando está lidando-se com formação de adolescentes – é se apropriar dessas outras “interpretações sociais” para despertar, neles, a “imaginação sociológica”, conforme definiu Wright Mills; pois os mesmos já “vivem a sociologia na prática”, dentro de suas relações cotidianas em sociedade.

Ver mais em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/rtm/170104_rtm_vol3_n1_art10.pdf

 

Na próxima semana a nossa “nave investigadora” deitará pouso sobre o ensino da Sociologia no ensino médio. Aguardem!!

Sociólogo formado pela FESPSP (Fundação Escola e Sociologia e Política de São Paulo). Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Militante político e cultural.
COMPARTILHE!

Kassiano César de Souza Baptista

Sociólogo formado pela FESPSP (Fundação Escola e Sociologia e Política de São Paulo). Professor da rede estadual de ensino de São Paulo. Militante político e cultural.

3 comentários em “SOCIOLOGIA E PENSAMENTO SOCIAL NO BRASIL

Gostou? Deixe uma resposta!