Uso dos “Porquês”

Uso dos “Porquês”

O uso dos “Porquês” é uma dúvida bastante frequente na hora de redigir um texto, um bilhete, ou mesmo uma postagem na página da rede social de sua preferência; não seria nada legal escrever algo de maneira errada/inadequada para todos verem.

Pensando nisto, tentarei esclarecer a questão dos “porquês”, para que você possa utilizá-los de forma adequada e com bastante facilidade.

Existem as seguintes formas:

Porque, por que, por quê e porquê.

Porque (junto) – usa-se em frases afirmativas (explicativas ou causais);

Por que (separado) – é utilizado nas frases interrogativas ou quando pode ser substituído por “pelo qual” e variações;

Por quê (separado e com acento) – no final de frase interrogativa.

Porquê (junto e com acento) – quando for uma palavra substantivada.

Ainda não ficou fácil? Então veja as definições a seguir:

POR QUE

A forma “por que” é a sequência de uma preposição (por) e um pronome interrogativo (que). Equivale a “por qual razão”, “por qual motivo”:

Exemplos:

Quero saber por que você tirou uma nota tão baixa.

Por que você vendeu o seu carro?

Existem casos em que “por que” representa a sequência preposição + pronome relativo, equivalendo a “pelo qual” (ou alguma de suas flexões (pela qual, pelos quais, pelas quais).

Exemplos:

Estes são os direitos por que estamos lutando.

O caminho por que passamos será interditado.

POR QUÊ

Se surgir no final de uma frase, imediatamente antes de um ponto (final, de interrogação, de exclamação) ou de reticências, Forma que deve ser usada é “por quê”, pois, devido à posição na frase, o monossílabo “que” passa a ser tônico.

Exemplos:

Ganhei muito dinheiro hoje. Sabe por quê?

Isto está errado. Veja por quê!

PORQUE

Porque” é uma conjunção, equivalente a pois, já que, uma vez que, como. Costuma ser utilizado em respostas, para explicação ou causa.

Exemplos:

Parei no posto porque precisava abastecer.

Parou porque queria descansar?

PORQUÊ

“Porquê” é um substantivo. Representa “causa”, “razão”, “motivo” e muitas vezes surge acompanhada de palavra determinante, como o artigo.

Exemplos:

Se eu pudesse saber o porquê de tanta maldade.

Existem muitos porquês para justificar este argumento.

Se não vai à aula, diga-me ao menos um porquê.

Com as definições e exemplos acima, fica bem mais fácil compreender as formas e usos gramaticais adequadas dos “Porquês”.

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Atualmente mora em Londrina. É um dos responsáveis pela fundação do EducaHelp, plataforma de desenvolvimento de conteúdos para Pré-Vestibular.
COMPARTILHE!

Lucas Montini

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Atualmente mora em Londrina. É um dos responsáveis pela fundação do EducaHelp, plataforma de desenvolvimento de conteúdos para Pré-Vestibular.

188 comentários em “Uso dos “Porquês”

Gostou? Deixe uma resposta!