Zoologia – Cordados: anfíbios

ANFÍBIOS

Os anfíbios serão os primeiros vertebrados terrestres ou tetrápodes que estudaremos. Eles são animais de transição entre o meio terrestre e aquático.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

⦁ Larvas possuem coração com duas cavidades, como os peixes. Indivíduos adultos possuem coração com três cavidades: dois átrios e um ventrículo.

⦁ São hetero/pecilotermos

⦁ Possuem esqueleto com cintura pélvica e peitoral.

⦁ Alguns representantes, como a perereca, possuem ventosas nas pontas dos dedos.

⦁ Larvas excretam amônia e adultos excretam ureia.

⦁ Larvas apresentam respiração branquial e cutânea, adultos apresentam respiração cutânea e pulmonar.

⦁ Aquisição evolutiva do grupo: surgimento de pulmões, órgãos especializados em realizarem trocas gasosas.

⦁ Apresentam pele fina e com pouca queratina (substância que propicia impermeabilidade da pele), o que permite que ocorra trocas gasosas com o ar. Apesar de parecer vantajoso, essa característica restringe o habitat dos anfíbios a locais úmidos, pois em um ambiente terrestre seco eles sofreriam desidratação rapidamente.

⦁ Possuem glândulas anexas na pele.

⦁ Apresentam coloração de advertência: geralmente anfíbios que possuem veneno na pele apresentam uma cor intensa, o que evita o ataque de predadores.

⦁ Sapos possuem um par de glândulas paratoides, as quais armazenam veneno.

⦁ Larvas possuem linha lateral como os peixes. Indivíduos adultos possuem olhos bem desenvolvido e membranas timpânicas externas capazes de captar o som do ambiente.

⦁ Possuem cloaca por onde são eliminados fezes, urinas e gametas.

⦁ São divididos em três ordens: anuros, urodelos e neotenias.

– Anuros: possuem patas, mas não calda, como sapos, rãs e pererecas. São dioicos e geram ovos sem casca. Apresentam desenvolvimento indireto.

– Urodelos: possuem patas e caldas, como as salamandras. Alguns deles atingem a maturidade sexual ainda na fase larval. São dioicos e geram ovos sem casca. Apresentam desenvolvimento indireto.

– Apópodes:  possuem corpo cilíndrico e não possuem patas, como a cobra-cega. Apresentam fecundação interna e desenvolvimento direto.

⦁ As enzimas lisossômicas atuam na metamorfose da larva em indivíduo adulto, realizando autólise da estrutura.

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.
COMPARTILHE!

Beatriz Silva

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.

Gostou? Deixe uma resposta!