ZOOLOGIA – PORÍFEROS

A zoologia é o ramo da biologia que estuda os membros que pertencem ao reino Metazoa, os quais são pluricelulares, eucariontes e heterótrofos. São divididos em dois grandes grupos em que se leva em consideração a presença ou ausência de cavidade digestória, enterozoários e parazoários respectivamente. O primeiro filo que veremos é o porífera, o único em que os membros são parazoários.

O principal representante desse grupo é a esponja do mar, e é ele o organismo que tomaremos como exemplo base para os estudos.

Os poríferos são eucariontes, pluricelulares, de vida aquática e sésseis (vivem fixados ao fundo do ambiente). As esponjas são filtradoras, ou seja, a água entra trazendo gás oxigênio e partículas alimentares e sai levando gás carbônico e resíduos. O fluxo de água é controlado pelos coanócitos, que são células flageladas. Os poríferos não possuem tecidos verdadeiros, órgãos e sistemas, apresentam simetria radial, são diblásticos e acelomados, eles desenvolvem-se apenas até a fase de blástula.. (relembre esses conceitos do post sobre embriologia)

O corpo de uma esponja tem forma de vaso, em que se há uma cavidade central denominada átrio ou espongiocela e na parte oposta à base encontra-se o ósculo, uma abertura por onde a água sai. Apesar de não possuírem tecidos verdadeiros, as esponjas possuem células especializadas.

  • Coanócitos: células flageladas, dotadas de colarinho, responsáveis por manter o fluxo da água
  • Pinacócitos: células achatadas que formam o revestimento externo do corpo da esponja, formando uma pseudo-epiderme, chamada de pinacoderme.
  • Porócitos: células que apresentam um canal (poro), por onde entra a água
  • Espícula: estruturas pontiagudas responsáveis por conferir resistência ao corpo do animal. Geralmente é formada por cálcio ou sílica.
  • Amebócito: células totipotentes (ou seja, podem transformar-se em outros tipos de células) que se movimento pela esponja com o auxílio de pseudópodes. Também são responsáveis por transportarem os nutrientes pelo corpo do animal e por parte da digestão intracelular.

Reprodução

Os poríferos apresentam reprodução assexuada e sexuada.

Assexuada

FragmentaçãoAs esponjas apresentam uma capacidade de regeneração muito grande, por isso, uma parte do corpo que “se desprende” pode acabar por formar um novo organismo.

Brotamento: Uma esponja desenvolve um broto e ele acaba se desprendendo formando um novo indivíduo. Enquanto o broto e organismo-mãe estão unidos, constituem uma colônia.

Gemulação: Caso o ambiente não esteja favorável, as esponjas podem formar gêmulas, estruturas que possuem um envoltório protetor que abriga arqueócitos (um tipo de amebócito). Quando as condições ambientais tornam-se favoráveis novamente, o envoltório libera os arqueócitos que se transforma em vários tipos de células formando uma nova esponja.

Sexuada

Os poríferos podem ser monoicos ou dioicos e produzem óvulos e espermatozoides. Os espermatozoides são liberados pelo ósculo e são capturados por um coanócito de uma próxima esponja, fecundando o óvulo e gerando um zigoto que se desenvolve em uma larva flagelada, portanto, a fecundação é interna e o desenvolvimento indireto. A larva nada até fixar-se em um substrato e desenvolver-se em um adulto séssil. A Reprodução sexuada, além de permitir a variabilidade genética, também dá à esses indivíduos a possibilidade de ocuparem novos ambientes, já que a forma adulta é séssil e a larva é flagelada, podendo locomover-se. 

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.
COMPARTILHE!

Beatriz Silva

Beatriz tem 19 anos e está em busca de uma vaga no curso de Medicina. Luta por uma Educação de qualidade mais acessível a todos e é por isso que se tornou Colunista de Biologia no EducaHelp.

3 comentários em “ZOOLOGIA – PORÍFEROS

Gostou? Deixe uma resposta!